Experiências para o Paintball da Ajut

Ready to fight

Domingo passado, tive a oportunidade de reviver um pouco da infância jogando Paintball no tartarugas , patrocinado pela Ajut,

Associação dos Servidores na Justiça do Trabalho, a única diferença e quando criança usávamos mamonas e estilingues ( boboques, fundas e outros nomes) e não tínhamos regras precisas e nem juízes para avaliar os acertos, o que ocasionava muitas discussões sobre quem foi atingido ou não, e as vezes usávamos munição real (perdas…) para os teimosos que insistiam não ser atingidos, bom mas isso é passado. Com o paintball não tem como mentir que foi atingido (as pedras também mas…) sem contar que tem os observadores para denunciar os espertinhos, mas continuando para esse evento criei uma engenhoca para fazer umas tomadas do jogo, como não poderia contar com um cinegrafista, resolvi instalar uma câmara na própria arma de Paint, mesmo sem ter visto uma de perto, só fotos pelo Google.

Criei um suporte em uma placa de alumínio cortado em cruz e usei a rosca do tripé para fixar a câmara (um parafuso 10 mm serve perfeitamente) e duas laminas de acrílico para evitar que um tiro danificasse a câmara, alias uma Yashica (que é uma droga mesmo e ninguém reclamou da ideia).

O suporte por ser de alumínio, permite alguns ajustes e junto com uma fita isolante fiou perfeitamente ajustada a arma como você confere nas fotos.

In action

Inclusive fiz um teste balístico para medir a resistência da blindagem de acrílico já que ninguém à acertou mesmo. O vídeo esta na fila das ordens de serviço para ser editado, aguarde o próximo post.

Após o teste, 5 metros de distancia.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *